bernadette-lyra.jpg

Bernadette Lyra

É escritora de ficção premiada, participa de antologias no Brasil e no exterior. Já publicou as obras: As contas no canto (1981, contos), O jardim das delícias (1983, contos), Corações de cristal ou a vida secreta das enceradeiras (1984, contos), Aqui começa a dança (1985, novela), A panelinha de breu (1992, romance), Tormentos ocasionais (1998, romance), O parque das felicidades (2009, contos), A capitoa (2014, romance), e Ulpiana (2019, romance). Foi finalista do Prêmio Jabuti com o livro Memória das ruínas de Creta (1997, contos).

Pela GÊNIO EDITORIAL, participou da coletânea Quando falávamos do desejo e outros sentimentos menores.

aspas.png

Tinha sido apresentada a um jovem engenheiro de olhos inquietantes. O rapaz se sentara muito junto, muito próximo. E enquanto o marido de Marta discutia política em uma roda de amigos, o jovem engenheiro explicava para ela o projeto de umas torres de vidro com ganchos de metal, nova modalidade de competições. Marta ignorava que se pudesse subir em torres de vidro com auxílio de ganchos de metal. Porém, de alguma maneira, mostrou-se interessada.

Quando o jovem engenheiro roçou em seu braço e devorou seu decote com os olhos, Marta tremeu. Teve a sensação angustiante de querer que ele lhe beijasse o clitóris.